Papa vai se reunir com vítimas da ditadura de Pinochet durante visita ao Chile

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco encontrará com vítimas da ditadura do falecido Augusto Pinochet quando visitar o Chile na próxima semana, disse o Vaticano nesta quinta-feira.

O porta-voz Greg Burke afirmou que o papa se reunirá com "duas vítimas da repressão da década de 1970" na próxima quinta-feira, em seu último dia no Chile antes de ir para o Peru na segunda etapa de sua viagem.

Burke disse ainda não ter detalhes sobre as duas pessoas que encontrarão com o papa depois de uma missa na cidade chilena de Iquique. O encontro não estava na agenda original da viagem.

Pinochet derrubou o democraticamente eleito governo socialista de Salvador Allende em setembro de 1973 e sua ditadura durou até 1990. Ele morreu em 2006.

Sua polícia secreta colaborou com a ditadura do Brasil e na Argentina, como parte de uma ampla repressão conhecida como "Operação Condor".

Durante o governo de Pinochet, cerca de 3.000 pessoas morreram ou desapareceram no Chile e milhares de outras -incluindo a atual presidente do país, Michelle Bachelet- foram torturadas ou exiladas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos