Em tentativa de renovação, comunistas russos registram candidato surpresa para desafiar Putin

Por Andrew Osborn

MOSCOU (Reuters) - O Partido Comunista da Rússia buscou atualizar sua imagem geriátrica nesta sexta-feira, registrando um rico administrador agrícola de 57 anos para desafiar o presidente Vladimir Putin à Presidência, em uma aposta que espera reviver seus sucessos eleitorais.

A comissão eleitoral central da Rússia informou nesta sexta-feira que registrou Pavel Grudinin, que administra um negócio agrícola nos arredores de Moscou, como candidato do Partido Comunista para a eleição de 18 de março, após os comunistas inesperadamente decidirem contra lançar para a disputa o veterano líder Gennady Zyuganov, de 73 anos.

    Apoiado pela TV estatal, pelo partido governista Rússia Unida e por muitos eleitores que moram fora das grandes cidades, pesquisas indicam que Putin, de 65 anos e que domina a política russa pelos últimos 18 anos, está no caminho de conquistar confortavelmente seu quarto mandato presidencial.

    Embora uma sombra do que foi na era soviética, quando usufruía do monopólio de poder, o Partido Comunista também espera que um candidato mais jovem e menos ortodoxo possa conseguir reviver seus sucessos e conquistar eleitores mais jovens.

    O partido viu sua fatia de votos nas eleições presidenciais pós-União Soviética cair a menos da metade de uma máxima de quase 41 por cento, ou cerca de 30 milhões de eleitores, em 1996. Na última eleição, em 2012, o partido teve somente 12 milhões de votos.

    Ainda assim, o partido continua popular entre milhões de russos, especialmente pessoas mais velhas que vivem em comunidades rurais, possui uma rede nacional e regularmente fica em segundo, atrás do partido governista, em eleições.

Grudinin não é um candidato comunista típico.

Zyuganov, que o partido lançou sem sucesso em quatro eleições presidenciais, é conhecido por visões comunistas linha dura e citações freqüentes do revolucionário soviético Vladimir Lênin, e uma vez pediu a reestalinização da sociedade.

Grudinin, um ex-partidário de Putin, faz piadas, está aberto sobre o fato de ganhar 20 milhões de rublos (cerca de 354 mil dólares) por ano, diz que os comunistas modernos devem aprender com os erros da URSS e defende que a Rússia tome emprestado alguns aspectos do comunismo de estilo chinês.

Analistas têm notado outra grande diferença.

Embora Zyuganov, nos últimos anos, criticasse o partido governista Rússia Unida, ele foi cuidadoso, no sistema político bem controlado, para não criticar duramente Putin.

Grudinin tem sido menos tímido, acusando Putin de fazer promessas vazias e sugerindo que ele está no poder há muito tempo, comparando-o com o veterano líder soviético Leonid Brezhnev, cujo longo mandato se tornou sinônimo de decadência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos