Trump rejeita plano bipartidário de imigração; nega ter dito "países de merda"

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, rejeitou nesta sexta-feira um plano bipartidário de imigração proposto por um grupo de senadores, dizendo que o projeto não financiava adequadamente seu muro ao longo da fronteira com o México, e o chamando de "passo para trás".

Após relatos de que teria se referido ao Haiti e a países africanos como "países de merda" durante a apresentação na véspera do projeto sobre imigração, Trump disse, em mensagem no Twitter, que usou uma linguagem "dura, mas que essa não foi a linguagem utilizada" na reunião.

Segundo Trump, os Estados Unidos "seriam forçados a aceitar um grande número de pessoas de países com alta criminalidade que estão indo mal" sob a proposta bipartidária.

"O chamado acordo bipartidário apresentado ontem para mim e para um grupo de senadores e parlamentares republicanos era um grande passo para trás", escreveu Trump no Twitter, um dia depois que o grupo disse ter chegado a um acordo inicial para proteger da deportação os jovens levados ilegalmente aos EUA por seus pais, os chamados "sonhadores".

(Reportagem de Susan Heavey)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos