Rebaixamento de rating mostra que futuro econômico é incerto, mas não garante voto pela Previdência, diz Marun

BRASÍLIA (Reuters) - O rebaixamento da nota do Brasil pela agência de risco Standard & Poor's mostra que o futuro da economia do país ainda é incerto, mas não necessariamente vai mudar a tendência de votos de parlamentares sobre a reforma da Previdência, disse nesta segunda-feira o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun.

Na semana passada, o governo chegou a dizer que o “susto” com o rebaixamento poderia ajudar na votação da reforma, marcada para 19 de fevereiro.

Marun disse ainda que o número de parlamentares favoráveis estaria melhorando --na última contagem, informada à Reuters, ele admitia que faltavam 50 votos-- mas não quis dar novos números agora. Uma nova contagem, afirmou, só será feita no final deste mês.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos