EUA retêm US$65 mi em ajuda para palestinos após ameaça de Trump

Por Arshad Mohammed

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos vão dar a uma agência das Nações Unidas 60 milhões de dólares em ajuda para refugiados palestinos, mas vão reter outros 65 milhões de dólares por ora, afirmou o Departamento de Estado nesta terça-feira, quando o governo de Donald Trump pareceu cumprir com ameaça que fez há duas semanas de cortar recursos.

Ao mesmo tempo em que disse que a decisão manteria escolas e serviços de saúde, a porta-voz do departamento Heather Nauert fez coro com o presidente Trump ao defender que outros países entrem com mais recursos porque os EUA pagariam mais do que lhe era cabido.

A decisão de não liberar recursos deve provavelmente aumentar as dificuldades de retomar as negociações de paz entre israelenses e palestinos e minar ainda mais a confiança árabe de que os EUA possam atuar como mediador imparcial, particularmente depois do anúncio de Trump em 6 de dezembro que reconheceu Jerusalém como capital israelense, revertendo décadas de política externa norte-americana.

Uma autoridade palestina rapidamente criticou a decisão de Washington de reter parte dos recursos, e o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou que não sabia de mudanças relacionadas à ajuda, mas que ele estava “muito preocupado” com a possibilidade de cortes financeiros.

O departamento notificou a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) que os EUA estão condicionando a liberação adicional de recursos a reformas não especificadas na entidade. A porta-voz, porém, citou que a decisão norte-americana não foi tomada "para punir" alguém.

"Sem os recursos que damos hoje, operações da UNRWA estavam sob o risco de ficar sem fundos e fechar. Os recursos dados pelos Estados Unidos vão impedir que isso aconteça no futuro imediato”, disse uma autoridade norte-americana, que afirmou que os adicionais “65 milhões de dólares ficarão retidos para consideração futura”.

Numa mensagem publicada no Twitter em 2 de janeiro, Trump afirmou que Washington dá aos palestinos "CENTENAS DE MILHÕES DE DÓLARES por ano e não recebe reconhecimento ou respeito".

"Eles não querem nem negociar um há muito esperado tratado de paz com Israel (…). Com os palestinos não mais dispostos a negociar a paz, por que nós devemos fazer grandes pagamentos no futuro para eles?”, disse Trump.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos