Número de pessoas em busca de asilo na Alemanha cai, mas ainda é alto demais, diz ministro

Por Riham Alkousaa

BERLIM (Reuters) - O número de requerentes de asilo registrado na Alemanha caiu acentuadamente em 2017, ficando bem abaixo da meta máxima de 220 mil pessoas almejada pelos partidos em negociações para a formação de um novo governo, mas o ministro do Interior disse que os números ainda são altos demais.

O número de recém-chegados na Alemanha em busca de asilo caiu 33 por cento em 2017, para 186.000, segundo dados do Ministério do Interior, abaixo dos 280 mil do ano anterior e 890 mil em 2015, quando fluxos sem precedentes ultrapassaram os controles fronteiriços da Europa.

Imigração é um dos tópicos mais sensíveis nas conversações entre os conservadores da chanceler Angela Merkel e os social-democratas (SPD) que tentam renovar a "grande coalizão" que governou a Alemanha de 2013 a 2017.

Em um acordo assinado na sexta-feira, os dois campos concordaram com uma meta de 180 mil a 220 mil imigrantes por ano, a ser alcançada não por meio de um limite formal, mas por intervenções para gerenciar fluxos. Para muitos no SPD, a medida é um "limite com outro nome", levando alguns membros a tentar derrubar o acordo.

Ao apresentar os novos números na terça-feira, o ministro do Interior alemão, Thomas de Maiziere, disse que o número de requerentes de asilo ainda era muito alto, acrescentando que a Alemanha ainda tem muito trabalho pela frente para integrar os recém-chegados à sociedade e enfrentar os altos níveis de criminalidade entre os que buscam asilo.

A maior parcela de requerentes de asilo na Alemanha veio da Síria (47.434), seguida por Iraque (21.043) e Afeganistão (12.346).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos