Países querem aumentar pressão sobre Coreia do Norte

Por David Brunnstrom e David Ljunggren

VANCOUVER (Reuters) - O mundo precisa intensificar a pressão para forçar a Coreia do Noirte a abandonar seu programa de armas nucleares e não pode ser enganado por uma iniciativa de reaproximação com os sul-coreanos, disseram nesta terça-feira participantes de uma reunião de 20 países sobre a Coreia do Norte.

"Devemos aumentar os custos do comportamento do regime até o ponto que a Coreia do Norte venha para negociações confiáveis", disse o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, durante o encontro do qual era um dos anfitriões.

Kim Jong Un, líder norte-coreano, tem se recusado a desistir do programa para desenvolver mísseis nucleares capazes de atingir os Estados Unidos, apesar das cada vez mais rigorosas sanções das Nações Unidas, aumentando temores relacionados a um novo conflito na península coreana.

O ministro do Exterior do Japão, Taro Kono, declarou que o mundo não pode ser ingênuo em relação à "iniciativa simpática" dos norte-coreanos, que participaram de conversas com os sul-coreanos antes dos Jogos Olímpicos de Inverno, programados para o mês que vem em Pyeongchang, na Coreia do Sul.

"Não é o momento para aliviar a pressão ou para recompensar a Coreia do Norte", disse ele. "O fato de que a Coreia do Norte está participando de um diálogo pode ser interpretado como prova de que as sanções estão funcionando."

Tillerson afirmou que a Coreia do Norte não pode causar desavença entre aliados e reiterou a rejeição de Washington para proposta russa e chinesa para que os EUA e a Coreia do Sul suspendam exercícios militares em troca da suspensão do programa de armas norte-coreano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos