Produção da Petrobras atinge recorde em 2017; Campos tem menor extração desde 2004

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção de petróleo da Petrobras no Brasil cresceu em 2017, atingindo recorde pelo quarto ano consecutivo, impulsionada pela expressiva extração na província do pré-sal, enquanto a Bacia de Campos, que ainda é a mais importante do país, registrou seu menor volume desde 2004.

No ano passado, a petroleira estatal produziu no Brasil 2,15 milhões de barris de petróleo por dia (bpd), alta de 0,4 por cento ante o ano anterior, informou a empresa nesta terça-feira.

O volume de petróleo produzido é quase 4 por cento superior à meta anteriormente traçada para o ano, de 2,07 milhões de bpd.

Contribuiu para esse resultado a alta da produção em importantes áreas do pré-sal, como os campos de Lula e de Lapa, ambos na crescente Bacia de Santos, além do início da produção do campo de Mero, na promissora área de Libra, também em Santos.

Na camada do pré-sal, a produção média no ano passado, incluindo tanto as parcelas da Petrobras e de seus parceiros, foi de 1,29 milhão de bpd, 26 por cento maior que o volume médio produzido em 2016.

A Bacia de Campos, que hoje representa cerca de metade da produção total do Brasil de petróleo, tem perdido relevância no país, devido ao declínio de alguns dos principais campos maduros brasileiros.

Em 2017, a Petrobras produziu na Bacia de Campos média de 1,223 milhão de bpd, queda de quase 10 por cento ante o ano anterior, quando produziu média de 1,358 milhão de bpd. O resultado é o menor desde 2004, quando a empresa produziu 1,203 milhão de bpd.

Já a produção própria de gás natural da Petrobras totalizou 79,6 milhões de metros cúbicos por dia e, com isso, a produção total da companhia no país em 2017 alcançou um recorde de 2,65 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), 0,9 por cento superior ao registrado em 2016.

Conforme a Petrobras, somando-se Brasil e exterior, a produção média somente de petróleo, em 2017, foi de 2,22 milhões bpd e a produção média anual de petróleo e gás foi de 2,77 milhões boed.

O Goldman Sachs afirmou em relatório a clientes que o resultado da produção da empresa foi em linha com o esperado.

Para 2018, o Goldman prevê que a produção da Petrobras no Brasil atinja média 2,231 mi bpd, alta de 2,6 por cento ante o ano anterior, refletindo principalmente a conexão de seis plataformas no pré-sal e as quedas de produção em campos maduros da Bacia de Campos.

DEZEMBRO

No mês passado, a produção média de petróleo no país foi de 2,13 milhões de bpd, em linha com o volume produzido em novembro. A produção de gás natural, excluído o volume liquefeito, foi de 77,9 milhões metros cúbicos por dia.

Já a produção de petróleo e gás natural operada na camada pré-sal foi de 1,68 milhão de boed em dezembro, 2 por cento acima de novembro.

Conforme a Petrobras, a produção total de petróleo e gás natural em dezembro foi de 2,72 milhões de boed, sendo 2,62 milhões boed produzidos no Brasil e 100 mil boed no exterior.

(Por Marta Nogueira)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos