Rússia diz que reunião sobre Coreia do Norte mina a ONU e agrava situação

MOSCOU (Reuters) - A Rússia atacou nesta quarta-feira os esforços liderados pelos Estados Unidos para aumentar a pressão internacional sobre a Coreia do Norte, dizendo que isso estava fazendo a situação piorar e minando a Organização das Nações Unidas.

Vinte países, em reunião organizada pelos EUA e o Canadá em Vancouver, concordaram na terça-feira em avaliar sanções mais duras para fazer com que a Coreia do Norte abra mão das suas armas nucleares.

Kim Jong Un, líder norte-coreano, tem se recusado a desistir do desenvolvimento de mísseis nucleares capazes de alcançar os EUA, apesar das sanções cada vez mais rigorosas da ONU, aumentando os temores sobre a possibilidade de uma nova guerra na península coreana.

O Ministério do Exterior russo disse que diplomatas de Moscou e Pequim não foram convidados para a reunião, que contou com países que apoiaram a Coreia do Sul durante a Guerra da Coreia (1950-53), e que os eventos estavam causando danos à autoridade da ONU.

“É uma situação absolutamente inaceitável, quando 17 países assumem o papel de ‘auxiliar’ do Conselho de Segurança das Nações Unidas e intérprete das suas resoluções, colocando assim a sua autoridade em dúvida”, disse o ministério em comunicado.

Em Washington, uma autoridade norte-americana disse que a reunião havia sido planejada por meses e buscou se contrapor à ideia de que ela agravaria as tensões na península.

(Reportagem de Jack Stubbs)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos