Impedir entrada de imigrantes não é cristão, diz papa

Philip Pullella e Marion Giraldo, de Iquique (Chile)

  • Vincenzo Pinto

O papa Francisco disse nesta quinta-feira (18) que não é cristão impedir a entrada de imigrantes, pedindo para países receberem pessoas cujas vidas foram enfraquecidas pela pobreza, injustiça e exploração.

Francisco, para quem a defesa dos imigrantes e refugiados tem sido um tema importante em seus quase cinco anos de pontificado, falou em seu último dia de viagem no Chile - antes de viajar ao Peru para começar a segunda e última parte de sua viagem pela América Latina.

"Não há júbilo cristão quando portas estão fechadas; não há júbilo cristão quando outros se sentem indesejados, quando não há espaço para eles em nosso meio", disse no sermão de uma missa em uma praia no norte do Chile.

"O choro dos pobres é um tipo de reza; isso abre nossos corações e nos ensina a ser atenciosos", disse em um enorme tablado branco, cercado por montanhas desérticas de um lado e pelo azul turvo do Oceano Pacífico de outro.

O papa aumentou sua defesa aos imigrantes nos meses recentes, conforme a imigração tem-se tornado uma intensa questão política em muitos países.

No Estados Unidos, parlamentares ainda estão discutindo o destino dos chamados "sonhadores", que foram levados ao país ilegalmente quando crianças e agora enfrentam deportação, após anos vivendo nos EUA.

Na Europa, o partido de extrema-direita e anti-imigração alemão Alternativa para a Alemanha se tornou uma grande força no ano passado, e, na Itália, o anti-imigração Liga Norte deve ter avançar nas eleições nacionais em março.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos