Negociações venezuelanas fracassam em meio à desavença sobre morte de fugitivo

CARACAS (Reuters) - As negociações entre o governo da Venezuela e a coalizão opositora fracassaram nesta quinta-feira depois que os opositores negaram ter dado informações que levaram às mortes de um ex-policial rebelde e seis outros ativistas contrários ao governo.

Oscar Pérez, um ex-piloto que já estrelou um filme de ação, foi morto na segunda-feira numa ação policial numa casa isolada.

No ano passado, ele usou um helicóptero sequestrado para atacar prédios do governo e roubou armas de uma base militar no que ele chamou de uma rebelião contra o presidente Nicolás Maduro.

A coalizão opositora, que tinha uma reunião prevista com autoridades do governo na República Dominicana, estava furiosa com a acusação do ministro do Interior, Néstor Reverlol, de que ela havia fornecido informações que acarretaram na operação.

“Exigimos uma retificação dessas acusações”, disseram os opositores em comunicado, confirmando que se retiravam das negociações de quinta, mas que estariam abertos a reuniões futuras.

Líderes opositores querem que Maduro aceite ajuda humanitária externa e querem a libertação de centenas de ativistas presos.

Autoridades venezuelanas querem que a oposição ajude a pressionar pelo fim das sanções aplicadas pelos Estados Unidos.

Os dois lados têm como foco uma eleição presidencial neste ano, mas nenhuma data foi estabelecida.

(Reportagem de Vivian Sequera e Andreina Aponte)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos