Imigração ilegal para Espanha deve crescer ainda mais em 2018, diz agência de fronteiras europeia

MADRI (Reuters) - A agência de fronteiras da Europa estima um aumento ainda maior na chegada de imigrantes ilegais à Espanha pelo mar neste ano, após os números mais que dobrarem em 2017, com o fluxo impulsionado pelo uso de embarcações rápidas, disse nesta sexta-feira o diretor da agência.

Cerca de 22.900 pessoas foram registradas chegando à Espanha pelo Marrocos ou Argélia no ano passado, acima das 10.231 em 2016, um grande aumento que é impulsionado pela migração destes dois países do norte da África.

O diretor da agência Frontex, Fabrice Leggeri, disse que embora os desembarques na Itália e na Grécia via Líbia tenham diminuído, o número total de usuários usando estas rotas continua superior ao para a Espanha e não há sinais de qualquer grande mudança.

"Imigrantes econômicos não querem acabar em um país (Líbia) onde há confrontos entre grupos armados... há casos individuais considerando encontrar uma rota alternativa", disse Leggeri à Reuters.

"Mas os (pequenos) números não tornam possível dizer que há um deslocamento", disse.

A agência de fronteiras da UE monitorava de perto se houve alguma mudança, disse, ao analisar países com Níger, onde imigrantes podem escolher entre seguir via Líbia para a Itália ou via norte ou oeste da África para a Espanha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos