Trump deve promover economia dos EUA e pedir comércio justo no fórum de Davos

Por Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, entrará em algo como uma cova dos leões quando visitar o elitista enclave de Davos na semana que vem e estiver lado a lado com alguns dos mesmos “globalistas” contra os quais ele pregou na sua vitoriosa campanha eleitoral de 2016.

Assessores disseram que alguns dos conselheiros de Trump argumentaram contra a sua ida ao Fórum Econômico Mundial, que reúne líderes políticos, presidentes de empresas e importantes banqueiros.

No final, contudo, segundo eles, Trump, o primeiro presidente em exercício dos EUA a comparecer ao fórum desde Bill Clinton em 2000, quis ir para chamar atenção para o crescimento da economia norte-americana e o ascendente mercado de ações.

Uma autoridade do governo afirmou que Trump deve levar ao fórum na Suíça uma mensagem mista. Ele deve fazer um discurso no evento e se encontrará com alguns líderes mundiais.

No discurso, Trump deve pedir que o mundo invista nos EUA para se aproveitar das suas políticas de desregulamentação e de corte de impostos, deve enfatizar a pauta “América Primeiro” e defender um comércio mais justo e recíproco, declarou a autoridade.

Na campanha de 2016, Trump culpou a globalização pelo fim de empregos industriais norte-americanos, à medida que as empresas buscavam reduzir custos trabalhistas realocando atividades para o México e outros locais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos