Tribunal iraquiano condena à morte alemã que aderiu ao Estado Islâmico

BAGDÁ (Reuters) - Uma corte iraquiana sentenciou à morte uma mulher alemã de origem marroquina por sua associação com o Estado Islâmico, informou um porta-voz, neste domingo.

A mulher de nacionalidade alemã foi capturada pelas forças iraquianas durante a batalha por Mosul no ano passado, disse o porta-voz, recusando-se a identificar a pessoa. Ela é a primeira mulher estrangeira a receber a sentença de morte no Iraque por ter se juntado ao grupo militante.

Ela pode apelar da sentença, disse Abdul-Sattar al-Birqdar, o porta-voz do Supremo Conselho Judicial em Bagdá. "Ela confessou que viajou com as duas filhas da Alemanha para a Síria e depois se juntou ao Daesh, no Iraque", disse Birqdar, referindo-se ao acrônimo árabe do nome do Estado Islâmico.

A mulher foi condenada por participar em ataques contra as forças de segurança iraquianas e oferecer ao grupo militante apoio logístico, informou Birqdar. Uma porta-voz do Ministério de Relações Exteriores alemão não quis comentar.

(Reportagem de Ahmed Rasheed)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos