ENTREVISTA-Momento para plano de paz de Trump no Oriente Médio depende dos palestinos, diz Pence

Por Jeff Mason

JERUSALÉM (Reuters) - O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, disse nesta terça-feira que o momento para uma aguardada iniciativa de paz dos EUA no Oriente Médio depende do retorno dos palestinos às negociações.

Assessores do presidente Donald Trump têm trabalhado no esboço de um plano há algum tempo. Mas os palestinos descartaram Washington como mediador de paz após o líder norte-americano reconhecer em 6 de dezembro Jerusalém como capital de Israel.

    “A Casa Branca tem trabalhado com nossos parceiros na região para ver se podemos desenvolver uma estrutura para a paz”, disse Pence à Reuters em entrevista em Jerusalém, na última parte de sua viagem de três dias ao Oriente Médio. “Tudo depende agora de quando os palestinos irão voltar à mesa.”

    O anúncio de Trump sobre Jerusalém irritou palestinos, gerou protestos no Oriente Médio e aumentou preocupação entre países ocidentais de que isto pode desestabilizar ainda mais a região.

    Pence disse que ele e o presidente acreditam que a decisão, sob a qual os Estados Unidos também planejam transferir sua embaixada em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, irá aumentar as perspectivas de paz.

    Pence discutiu a questão sobre Jerusalém durante conversas no sábado com o presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e no domingo com o rei Abdullah, da Jordânia. Ele disse que os dois líderes haviam concordado em transmitir aos palestinos que os EUA desejam retomar as conversas sobre a paz.

    “Nós queremos que eles (os palestinos) saibam que a porta está aberta. Nós entendemos que estão infelizes com esta decisão, mas o presidente quer que eu transmita nossa vontade e desejo de ser parte de um processo de paz que siga em frente”, disse Pence.

    Pence disse que o Departamento de Estado norte-americano irá definir nas próximas semanas os detalhes sobre um plano de transferência da embaixada norte-americana para Jerusalém até o final de 2019.

    A mídia israelense especulou que uma embaixada em 2019 pode ajudar o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, a vencer reeleição em uma eleição marcada para novembro de 2019.

    Perguntado se espera a reeleição de Netanyahu, Pence disse: “Eu sou um forte apoiador de Benjamin Netanyahu, mas eu não voto aqui.”

(Reportagem de Jeff Mason) 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos