ONU pede que Mianmar dê livre acesso a acampamentos rohingyas

MAUNGDAW, Mianmar (Reuters) - A Organização das Nações Unidas (ONU) pediu nesta quarta-feira que Mianmar dê livre acesso a agências de ajuda humanitária em acampamentos construídos para dezenas de milhares de refugiados muçulmanos rohingyas antes que possam retornar depois de fugirem de operações militares de Mianmar no ano passado.

Uma delegação internacional aconselhando Mianmar visitou o acampamento de refugiados Taung Pyo Letwe, nos arredores da cidade de Maungdaw, próximo à fronteira com Bangladesh. Vídeos do acampamento mostram longos barracões de madeira compensada feitos em um campo rochoso e rodeados por uma cerca com arame farpado.

Bangladesh adiou na terça-feira a repatriação dos rohingyas para Mianmar, já que o processo de produzir e verificar a lista de pessoas a serem enviadas de volta estava incompleto. Mas a ONU disse que proteções necessárias aos refugiados ainda estão faltando.

"Até que a segurança e o bem-estar de qualquer criança voltando a Mianmar possam ser garantidos, conversas de repatriação são prematuras", disse o vice-diretor-executivo da Unicef, Justin Forsyth, em comunicado.

A agência de refugiados da ONU, Acnur, informou anteriormente que "há contínuas restrições ao acesso para agências de ajuda humanitária, para a mídia e para outros observadores independentes" em Mianmar.

O Acnur pediu que Mianmar "permita o necessário livre acesso humanitário ao Estado de Rakhine e a criação de condições para uma solução genuína e duradoura".

(Por Zeba Siddiqui, com reportagem adicional de Ruma Paul)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos