Síria diz que acusações de que usa armas químicas são "mentiras"

Por Tom Perry e Lisa Barrington

BEIRUTE (Reuters) - O governo da Síria informou nesta quarta-feira que acusações da França e dos Estados Unidos de que ainda estaria utilizando armas químicas são "mentiras".

Na terça-feira, o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, disse que o governo sírio ainda pode estar utilizando armas químicas, após um suposto ataque com gás cloro no enclave rebelde de Ghouta oriental, na segunda-feira.

Em comunicado divulgado pela agência de notícias estatal Sana, o Ministério de Relações Exteriores da Síria afirmou que tais acusações têm como objetivo "obstruir qualquer esforço para encontrar uma saída para a crise na Síria".

Em 2013, a Síria disse que abriria mão de todas as suas armas químicas.

Nos últimos dois anos, um inquérito conjunto da ONU e da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) concluiu que o governo sírio usou o agente nervoso sarin e diversas vezes o gás cloro como armas.

O Exército e o governo sírio têm negado repetidamente usar cloro ou outras armas químicas durante a guerra, que já entra em seu sétimo ano.

"A Síria tem sempre demonstrado cooperação e fornecido as condições necessárias para uma investigação imparcial, objetiva e profissional sobre o uso de armas químicas", disse a Sana, acrescentando que "o Ocidente" havia dificultado esse processo por razões políticas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos