EXCLUSIVO-Acordo político abriu caminho para indulto de Fujimori, diz fonte

Por Mitra Taj e Marco Aquino

LIMA (Reuters) - Três meses antes de ter garantido indulto a Alberto Fujimori por motivos médicos, o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, se encontrou com o filho do ex-presidente, o congressista Kenji Fujimori, para discutir sua soltura, disse uma fonte próxima ao presidente.

Após uma cerimônia no palácio presidencial, onde cresceu, Kenji pediu a Kuczynski para libertar seu enfermo pai da prisão e ofereceu a ele em troca apoio no Congresso, completou a fonte, sob condição de anonimato.

Ex-banqueiro de Wall Street, Kuczynski enfrentava dificuldade para governar junto com o partido de direita, "Força Popular", que é liderado pela filha de Fujimori, Keiko Fujimori, ex-candidata à Presidência derrotada duas vezes.

O "Força Popular" usava sua maioria no Congresso para expulsar ministros-chave no governo de Kuczynski, atrasando seus planos de retomar o crescimento econômico com projetos de infraestrutura.

Contudo, Kuczynski viu uma saída em Kenji, um parlamentar de 37 anos filiado ao "Força Popular" e que desafiou a liderança de sua irmã apelando aos seguidores de seu pai, que estava na prisão por abusos aos direitos humanos e corrupção.

Esse encontro deu fundamento a uma série de conversas de bastidores que abriram caminho para a soltura de Fujimori pai, que havia cumprido menos da metade da pena de 25 anos de prisão, afirmou a fonte.

"Foi aí que começou a haver confiança em Kenji", disse a fonte em um de três encontros nas últimas semanas.

Mediadores visitaram várias vezes a cela de Fujimori como parte das negociações, e a comunicação entre o executivo peruano e a dupla Fujimori continuou mesmo após o indulto ser concedido, completou a fonte.

A ajuda de Kenji e seus apoiadores será crucial ao presidente, já que Kuczynski procura acalmar os ânimos que têm ameaçado sua sobrevivência política e o status do Peru de mercado emergente na América Latina.

O porta-voz presidencial não respondeu aos pedidos de comentários. E seu gabinete tem negado repetidas vezes que o indulto foi motivado por questões políticas.

O porta-voz de Kenji negou que o indulto tenha sido concedido por razões políticas.

Kuczynski disse publicamente na metade de 2017 que estava considerando perdoar Fujimori pai, que aos 79 anos sofre com problemas cardíacos, alegando que tinha medo que o ex-presidente morresse na prisão.

Entretanto, duas fontes do governo e uma ex-autoridade do governo disseram que o indulto também foi discutido como um jeito de dividir o "Força Popular", dando uma vitória de Kenji sobre sua irmã Keiko.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos