Trump diz que "pediria desculpas" por compartilhar vídeos da extrema-direita britânica

Por Guy Faulconbridge

LONDRES (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que não teve a intenção de causar ofensas no Reino Unido ao compartilhar vídeos antimuçulmanos publicados originalmente pela líder de um grupo de extrema-direita britânico, e que pediria desculpas se tais pessoas forem racistas horríveis.

Trump disse em entrevista ao programa Good Morning Britain, da emissora britânica ITV, que ele não sabia nada sobre o grupo, mas que era "a pessoa menos racista que qualquer um vai conhecer" e que seu compartilhamento não foi um apoio.

Trump causou indignação no Reino Unido quando compartilhou os vídeos antimuçulmanos em, novembro e se envolveu em uma disputa pública com a primeira-ministra britânica, Theresa May, que o criticou pelo retuíte.

Quando questionado se pediria desculpas pelo compartilhamento, Trump disse que se o grupo fosse composto por racistas ele se desculparia.

"Aqui está o que é justo, se você está me dizendo que eles são pessoas horríveis, pessoas racistas horríveis, eu certamente pediria desculpas se você gostaria que eu fizesse isso", disse Trump.

"Eu não sei nada sobre eles. Eu não quero estar envolvido com (essas) pessoas, mas você está me contando sobre essas pessoas porque eu não sei nada sobre essas pessoas".

Jayda Fransen, vice-líder do grupo anti-imigração Reino Unido Primeiro, publicou os vídeos dizendo que mostravam um grupo de muçulmanos espancando um adolescente até a morte, agredindo um menino de bengalas e destruindo uma estátua cristã.

(Reportagem de Guy Faulconbridge e Costas Pitas)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos