ONU diz que 100 mil rohingyas correm risco sério devido a chuvas de monção em Bangladesh

Por Tom Miles

GENEBRA (Reuters) - Mais de 100 mil refugiados rohingyas recolhidos em campos precários de Bangladesh poderão ser atingidos por deslizamentos de terra quando a estação de monções começar em meados deste ano, alertou um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU).

Atualmente há mais de 900 mil rohingyas na região de Cox's Bazar, em Bangladesh, para onde 688 mil membros do grupo fugiram da violência que irrompeu em Mianmar em agosto. Agentes humanitários dizem que os campos que abrigam os recém-chegados são totalmente inadequados.

"O mapeamento dos riscos de deslizamentos de terra e alagamentos revela que ao menos 100 mil pessoas correm grande perigo devido a estes riscos e precisam de realocação para novas áreas ou dentro das vizinhanças em que moram", disse o relatório da ONU.

"A falta de espaço continua sendo o principal desafio para o setor, já que os locais estão altamente congestionados, o que cria condições de vida extremamente duras, sem espaço para a prestação de serviços e instalações. Além disso, o congestionamento cria mais riscos para a proteção e favorece surtos de doenças, como o surto de difteria que cresce atualmente na maioria dos locais".

Embora um programa de vacinação acelerado pareça ter contido o risco de cólera, há 4.865 casos confirmados, prováveis ou possíveis da doença, e 35 pessoas já morreram.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vacinou mais de 500 mil rohingyas contra a difteria, e no sábado agentes de saúde começaram a dar uma segunda dose a 350 mil crianças. A OMS também tem 2.500 doses de antitoxina, que atualmente está com os estoques baixos em todo o mundo, para tratar dos efeitos fatais da doença.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos