Papa envia investigador para averiguar bispo acusado de acobertar abuso sexual no Chile

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco está enviando o principal investigador de abuso sexual da Igreja ao Chile para apurar alegações feitas contra um bispo acusado de acobertar crimes do clero contra menores de idade no país, disse o Vaticano, nesta terça-feira.

Um comunicado informou que o enviado, o arcebispo Charles Scicluna, de Malta, está sendo mobilizado depois que surgiram "novas informações" sobre o bispo Juan Barros, da cidade chilena de Osorno.

A controvérsia sobre Barros, que o papa tem defendido repetidamente, dominou sua recente viagem ao Chile.

A medida foi uma reviravolta notável para o papa que, apenas na semana passada, disse a repórteres a bordo do avião retornando da América Latina que tinha certeza de que Barros era inocente e que o Vaticano não havia recebido nenhuma evidência concreta contra ele.

Barros foi acusado de proteger seu ex-mentor, o reverendo Fernando Karadima, que foi condenado em uma investigação do Vaticano em 2011 por abusar de meninos adolescentes durante muitos anos. Karadima nega as acusações e Barros disse que não sabia de nenhuma transgressão.

(Reportagem de Philip Pullella)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos