Secretário de Estado dos EUA diz que papel regional do Hezbollah é uma ameaça ao Líbano

Por Yara Bayoumy e Lisa Barrington

BEIRUTE (Reuters) - O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, alertou o Líbano nesta quinta-feira que o arsenal e o envolvimento crescentes do grupo Hezbollah em conflitos regionais ameaçam a segurança libanesa.

Falando ao lado do primeiro-ministro libanês, Saad al-Hariri, durante uma coletiva de imprensa em Beirute, Tillerson também disse que os Estados Unidos estão se engajando com o Líbano e Israel para fazer com que suas fronteiras continuem calmas.

Israel vê o Hezbollah, que tem apoio do Irã, como a maior ameaça direta às suas divisas e atacou o grupo diversas vezes na Síria, onde este luta ao lado do presidente Bashar al-Assad em uma guerra civil agora entrando em seu oitavo ano.

    O governo do presidente dos EUA, Donald Trump, adotou uma postura dura com o Irã e sancionou várias pessoas e entidades associadas ao Hezbollah nas últimas semanas, parte de um esforço para aumentar a pressão sobre Teerã.

    O movimento xiita fortemente armado é parte do governo de coalizão libanês, liderado pelo sunita Hariri, em um sistema político complexo que promove a divisão do poder entre seitas.

"O Hezbollah não é uma preocupação só dos Estados Unidos. O povo do Líbano também deveria estar preocupado sobre como as ações do Hezbollah e seu arsenal crescente trazem um escrutínio indesejado e nada útil ao Líbano", argumentou Tillerson.

    "O enredamento do Hezbollah em conflitos regionais ameaça a segurança do Líbano".

    O grupo sempre rejeitou qualquer exigência de deposição das armas, que diz precisar para defender seu país de Israel, e já disse que seu papel na Síria é necessário para impedir que qualquer militante sunita ameace o Líbano. Em janeiro o Hezbollah disse acreditar que a guerra síria terminará em um ou dois anos.

A visita de Tillerson, a primeira de um secretário de Estado norte-americano ao Líbano desde 2014, começou com um constrangimento, já que ele esperou vários minutos para um encontro com o presidente Michel Aoun, um aliado do Hezbollah, no Palácio Baabd.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos