Trump diz que tornará escolas dos EUA mais seguras após ataque na Flórida

Por Roberta Rampton

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu paz nesta quinta-feira, um dia depois que um jovem armado matou pelo menos 17 pessoas em um colégio na Flórida, e afirmou que seu governo vai trabalhar para melhorar a segurança escolar e enfrentar a questão de doenças mentais.

Trump disse que estava fazendo planos para se encontrar com famílias em Parkland, Flórida.

Em declarações transmitidas da Casa Branca pela TV, Trump, que tem um filho de 11 anos, disse querer atingir as crianças dos Estados Unidos com a mensagem de que elas "nunca estão sozinhas e vocês nunca estarão".

"Vocês têm pessoas que se preocupam com vocês, que os amam, e que farão qualquer coisa para protegê-los", declarou ele.

Os democratas disseram que o tiroteio ressalta a necessidade de leis mais duras para armas, mas Trump não mencionou a questão em seu breve discurso.

O presidente afirmou que tornará a segurança das escolas em prioridade máxima quando ele se encontrar com governadores e procuradores-gerais estaduais neste mês.

"Nós também precisamos trabalhar juntos para criar uma cultura em nosso país que abraça a dignidade da vida, que cria conexões humanas profundas e significativas", afirmou Trump, exortando as crianças que se sentem assustadas ou sozinhas a buscar ajuda de adultos confiáveis.

"Estamos aqui para vocês, para tudo que precisarem, o que quer que possamos fazer para aliviar sua dor", disse ele.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos