Ataques deixam 94 mortos em um dia na região síria de Ghouta oriental, diz grupo monitor

BEIRUTE (Reuters) - Ataques do governo sírio e de seus aliados mataram 94 pessoas no bolsão rebelde de Ghouta oriental no espaço de 24 horas, informou nesta segunda-feira um grupo que monitora a guerra.

Ataques aéreos, foguetes e bombardeios nos subúrbios sitiados de Damasco também feriram 325 pessoas, informou o Observatório Sírio para Direitos Humanos.

    Não houve comentário do Exército sírio. O governo de Damasco diz ter como alvos somente militantes.

    Facções em Ghouta dispararam morteiros contra distritos de Damasco, matando uma criança e ferindo oito outras, relatou a mídia estatal síria. Tropas e forças aliadas atingiram alvos militantes na região em resposta, relatou a agência de notícias estatal Sana.

A Organização das Nações Unidas diz que cerca de 400 mil pessoas vivem em Ghouta oriental, um bolsão de cidades satélites e fazendas sob sítio do governo desde 2013.

O Observatório sediado no Reino Unido informou que o último aumento começou no domingo em Ghouta, o único grande enclave insurgente em torno da capital e que entre os mortos estavam 14 crianças.

A Defesa Civil informou que aviões de guerra e artilharia atingiram Saqba, Jisreen e outras cidades. O serviço de resgate, que opera em território rebelde, informou que ataques mataram 20 pessoas e feriram dezenas somente na cidade de Hammouriyeh nesta segunda-feira.

    O Exército do presidente da Síria, Bashar al-Assad, ganhou força na guerra após aviões de guerra russos entrarem ao seu lado em 2015, afastando rebeldes de cidades importantes e retomando grande parte do centro e do leste da Síria do Estado Islâmico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos