Secretário de Justiça dos EUA forma força-tarefa cibernética para investigar interferências em eleições

Por Dustin Volz

WASHINGTON (Reuters) - O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Jeff Sessions, ordenou a criação de uma força-tarefa para examinar como o Departamento de Justiça pode combater de forma mais eficaz ameaças cibernéticas globais, incluindo esforços para interferir em eleições ou danificar infraestruturas críticas.

O anúncio nesta terça-feira da nova força-tarefa acontece em meio a preocupações renovadas sobre como a Rússia e adversários estrangeiros podem tentar usar ferramentas cibernéticas para interferir nas eleições de 2018, que acontecem em menos de 10 meses.

“A internet nos deu novas ferramentas incríveis que nos ajudam a trabalhar, comunicar, e participar em nossa economia, mas estas ferramentas também podem ser usadas por criminosos, terroristas e governos inimigos”, disse Sessions em comunicado.

    Em um memorando oficial com assinatura de sexta-feira mas divulgado nesta terça, Sessions pediu para a força-tarefa “priorizar o estudo sobre esforços para interferir em nossas eleições”.

Sessions também pediu para a força-tarefa examinar como a internet é usada para disseminar ideologias violentas e recrutar seguidores; como hackers roubam informações corporativas, governamentais e particulares; e como tecnologia é usada para “evitar ou frustrar aplicação da lei”, uma referência a preocupações sobre a prevalência de criptografias fortes.

A força-tarefa irá emitir um relatório a Sessions até o final de junho, informou o Departamento de Justiça. 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos