Investigador do Vaticano sobre abusos sexuais se reúne com bispo chileno acusado

SANTIAGO (Reuters) - Um insvestigador do Vaticano enviado ao Chile pelo papa Francisco para entrevistar vítimas de abusos sexuais encontrou-se sexta-feira com o bispo chileno Juan Barros acusado de acobertar abuso sexual de menores competidos por um padre.

O investigador, o padre espanhol Jordi Bertomeu, não forneceu detalhes da entrevista com Barros, mas disse a repórteres que a reunião havia sido "cordial e amigável".

Mais cedo na sexta-feira, o investigador do Vaticano, arcebispo Charles Scicluna, foi liberado de um hospital em Santiago, após passar por uma cirurgia de emergência, e pode conduzir mais entrevistas.

Scicluna tem se recuperado bem e vai permanecer no país para descansar, disse o porta-voz da Conferência Episcopal, Jaime Coiro. O assistente de Scicluna, Bertomeu, havia sido escalado para substituí-lo nas conversas já agendadas com vítimas de abusos sexuais ao longo da sexta-feira.

Scicluna está no Chile para apurar as acusações de que o bispo Juan Barros escondeu informações a respeito de abusos sexuais de menores cometidos por seu mentor, o padre Fernando Karadima. Barros disse não estar ciente de nenhum ato impróprio de Karadima.

(Por Fabian Cambero e Antonio De la Jara)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos