Milhares se reúnem em Moscou para lembrar de líder opositor assassinado

MOSCOU (Reuters) - Milhares marcharam pelo centro de Moscou, neste domingo, para celebrar o líder de oposição russo assassinado Boris Nemtsov, pedindo a saída do presidente Vladimir Putin apenas três semanas antes da eleição presidencial.

Nemtsov, um dos críticos mais ferrenhos de Putin, foi assassinado em 27 de fevereiro de 2015, ao cruzar uma ponte próxima ao Kremlim. Aos 55 anos, ele trabalhava em um relatório examinando o papel da Rússia no conflito da Ucrânia.

Seu assassinato enviou um frio na espinha aos círculos de oposição e iniciou marchas anuais em Moscou que uniram diferentes partidos de oposição e aqueles que estão insatisfeitos com as autoridades.

Alguns culpam Putin pela morte de Nemtsov, mas ele nunca respondeu a essas acusações. Em 2015, disse que o assassinato tinha uma "natureza provocativa" e posteriormente que observa de perto as investigações.

"A morte de Nemtsov é um ato político de terror. Toda a responsabilidade pelo assassinato é de Putin", disse o candidato presidencial do partido liberal Yabloko, Grigory Yavlinsky, à emissora de televisão Dozhd, em uma transmissão ao vivo da marcha.

De acordo com a White Counter, por volta de 7.600 pessoas participaram da marcha de Moscou, para a qual os organizadores receberam permissão das autoridades municipais.

Centenas de pessoas também se juntaram em uma praça central em St. Petersburg, cantando "A Rússia será livre", mostrou a transmissão da Dozhd TV. 

(Por Andrey Ostroukh)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos