Operações militares deixam ao menos 30 mortos em Ghouta Oriental em 48 horas; comboios de auxílio estão prontos, diz ONU

GENEBRA (Reuters) - Operações militares mataram ao menos 30 pessoas, incluindo mulheres e crianças, na região sitiada de Ghouta Oriental, na Síria, nas últimas 48 horas, enquanto bombardeios em Damasco continuam sendo feitos da área tomada por rebeldes, disse nesta segunda-feira uma porta-voz da Organização das Nações Unidas.

“A Organização das Nações Unidas se mobilizou e está pronta para apoiar imediatamente comboios de auxílio à vida para diversas áreas em Ghouta Oriental logo que condições permitirem, assim como centenas de retiradas médicas”, disse Linda Tom, porta-voz humanitária da ONU em Damasco, em comentários por e-mail.

O presidente sírio, Bashar al-Assad, que tem apoio da Rússia e do Irã, vem reconquistando gradualmente áreas onde opositores se insurgiram contra seu governo em 2011. Ghouta Oriental é o último grande bastião rebelde próximo de Damasco, a sede de seu poder.

O bombardeio de Ghouta Oriental ao longo da semana passada foi um dos mais violentos da guerra síria de sete anos, matando ao menos 522 pessoas em sete dias, de acordo com um saldo compilado pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos, grupo de monitoramento sediado no Reino Unido.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos