Antes de eleição, Putin apresenta novas armas nucleares para se contrapor ao Ocidente

Por Andrew Osborn e Polina Ivanova

MOSCOU (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, apresentou nesta quinta-feira uma série de novas armas nucleares em um de seus discursos mais beligerantes dos últimos anos, dizendo que as bombas podem atingir quase qualquer lugar do mundo sem serem interceptadas.

Falando semanas antes de uma eleição que deve vencer, Putin também disse que um ataque nuclear a qualquer um dos aliados de Moscou seria visto como uma agressão contra a própria Rússia, e respondido de imediato.

Putin, que segundo as pesquisas deve se reeleger com facilidade em 18 de março, sustentou sua retórica dura com vídeos de alguns dos novos mísseis de que falava, que foram projetados em um telão atrás do líder em um centro de conferências do centro de Moscou onde discursou à elite política russa.

"Eles não conseguiram conter a Rússia", afirmou Putin, referindo-se ao Ocidente. "Agora eles precisam levar em conta uma nova realidade e entender que tudo que eu disse hoje não é um blefe".

Entre as novas armas que Putin disse estarem sendo desenvolvidas ou prontas estão um novo míssil balístico intercontinental, uma pequena ogiva nuclear que pode ser anexada a mísseis de cruzeiro, drones nucleares submarinos, uma arma supersônica e uma arma laser.

A plateia, composta de parlamentares russos e outros notáveis, se levantou e aplaudiu com frequência a apresentação, que culminou com a execução do hino nacional.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos