Coreia do Norte nega cooperação com Síria em armas químicas

SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte negou relatos de que cooperou com a Síria em armas químicas, minimizando-os como uma fabricação dos Estados Unidos para pressionar o país, informou a mídia estatal nesta quinta-feira.

A agência de notícias estatal KCNA citou um porta-voz do instituto de estudos americanos do Ministério das Relações Exteriores afirmando que os EUA usaram um "argumento sem sentido" de que o país ajudou a Síria a produzir armas químicas.

"Como dissemos claramente várias vezes, nossa República não desenvolve, produz ou armazena armas químicas e se opõe a armas químicas", disse o porta-voz, de acordo com a KCNA.

Robert Wood, embaixador para desarmamento dos EUA na Conferência para o Desarmamento, disse na quarta-feira que há uma história de relacionamento entre os dois países no que se refere a atividades de mísseis e componentes de armas químicas.

Dois embarques norte-coreanos para a agência síria responsável pelo programa de armas químicas do país foram interceptados nos últimos seis meses, de acordo com um relatório confidencial da Organização das Nações Unidas sobre as violações de sanções impostas à Coreia do Norte.

A Coreia do Norte está sob sanções da ONU desde 2006 por conta de seu programa de mísseis balísticos e nuclear e o Conselho de Segurança ampliou medidas em resposta a seis testes com armas nucleares e vários lançamentos de mísseis de longo alcance.

(Reportagem de Ju-min Park)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos