PUBLICIDADE
Topo

Turquia diz ter matado 11 militantes curdos no sul; 2 soldados morrem

27/03/2018 09h12

ISTAMBUL (Reuters) - Os militares da Turquia mataram 11 militantes curdos em Hatay, província do sul do país que faz fronteira com a Síria, nesta madrugada, disse o gabinete do governador local nesta terça-feira, e o Exército disse que dois de seus soldados morreram em uma explosão na região síria de Afrin.

Contando com apoio aéreo, forças de segurança turcas abriram fogo e mataram os militantes depois de avistá-los no distrito de Arsuz, em Hatay, perto do mar Mediterrâneo, informou o governo local um comunicado.

Segundo o gabinete do governador, os militares recuperaram os corpos de seis dos militantes, além de fuzis M-16, um lançador de foguetes e munição. Acredita-se que o grupo esteja por trás de vários ataques cometidos contra a província no ano passado, disse.

A Turquia vem combatendo uma insurgência de militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) desde 1984, e mais de 40 mil pessoas já morreram nos combates, que se concentram basicamente no sudeste turco, centenas de quilômetros ao leste de Hatay.

Em janeiro o Exército turco e seus aliados rebeldes sírios iniciaram uma ofensiva militar contra a milícia curda YPG em Afrin, na divisa com Hatay, e conquistaram o controle total da região no final de semana, de acordo com uma fonte militar.

Separadamente, as Forças Armadas da Turquia disseram que dois soldados turcos foram mortos por um artefato explosivo improvisado durante operações de busca na região de Afrin, na segunda-feira.

Ancara vê a YPG como um grupo terrorista e uma extensão do proscrito PKK.

(Por Daren Butler)