PUBLICIDADE
Topo

Candidatos mexicanos prometem eliminar corrupção no lançamento da campanha

30/03/2018 18h29

Por Michael O'Boyle

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Candidatos presidenciais mexicanos deram início nesta sexta-feira à campanha de três meses para a eleição com promessas de transformar um sistema político repleto de problemas de corrupção.

Dois dos quatro candidatos presidenciais lançaram suas campanhas logo após o tiro de partida de meia-noite para a contagem regressiva para a votação de 1º de julho, falando sobre desaprovação de escândalos de corrupção sob o partido governista que está no controle do país na maior parte do último século.

A irritação de eleitores até o momento favorece o dissidente de esquerda Andrés Manuel López Obrador, de 64 anos, que irá lançar sua própria campanha focada em anticorrupção no domingo. López Obrador possui uma liderança de dois dígitos na maioria das pesquisas.

O candidato em segundo lugar, Ricardo Anaya, de 39 anos, concorrendo pela coalizão entre direita e esquerda “Pelo México à Frente”, lançou sua campanha logo após a meia-noite desta sexta-feira, realizando um evento para mil jovens trabalharem juntos em ideias impulsionadas pela tecnologia para combater corrupção e violência.

“O México irá mudar”, disse Anaya para uma multidão de jovens. “Este governo corrupto está com seus dias contados."

Propinas e furtos que prejudicam serviços públicos, que devem custar ao México bilhões de dólares todos os anos, surgiram como a principal questão da campanha.

Todos os candidatos prometem repressão, com medidas incluindo remoção de imunidade para o presidente e criação de uma comissão da verdade para estudar crimes passados.

Anaya se lançou como uma alternativa com visão de futuro tanto para o governista e impopular Partido Revolucionário Institucional, quanto para a liderança personalista de López Obrador.

Um governo de López Obrador poderia marcar uma mudança de direção para o México, com uma abordagem menos acomodatícia em relação aos Estados Unidos e uma visão mais cautelosa de investimentos estrangeiros. Ele prometeu analisar de perto bilhões de dólares em contratos de energia e infraestrutura.

Críticos disseram que incerteza envolvendo suas políticas irá sufocar negócios, enquanto López Obrador diz que incerteza é melhor que fechar os olhos para a corrupção.

Monica Vargas, uma estudante de literatura de 22 anos do Estado central de Tlaxcala, disse apoiar Anaya porque ele está ouvindo os jovens. Ela disse que muitos de seus colegas haviam abandonado a faculdade por conta da falta de dinheiro.

“Como mexicana me sinto muito desapontada... nós percebemos o quão ricas nossas autoridades públicas ficaram, e nós, o povo, estamos sempre para trás”, disse Vargas.

(Por Michael O'Boyle, Frank Jack Daniel, ChristineMurray e Daina Beth Solomon)