Após a violência em Gaza, papa diz que "indefesos" foram mortos na Terra Santa

Philip Pullella

Em Cidade do Vaticano

  • Andrew Medichini/AP Photo

Em seu discurso de Páscoa, neste domingo, o Papa Francisco pediu paz na Terra Santa dois dias depois da morte de 16 palestinos na fronteira entre Israel e Gaza, dizendo que o conflito lá "não poupa os indefesos".

O apelo do papa foi feito em sua mensagem "Urbi et Orbi" (para a cidade e o mundo) da sacada central da Basílica de São Pedro para dezenas de milhares de pessoas na praça adornada com flores onde, mais cedo, celebrou uma missa.

Jaafar Ashtiyeh/AFP Photo
Bombas de gás lacrimogêneo foram lançadas contra palestinos em protesto

Ele também pediu o fim da "carnificina" na Síria, solicitando a entrada da ajuda humanitária, e a paz no sul do Sudão e na República Democrática do Congo.

Francisco pareceu referir-se diretamente à violência em Gaza na sexta-feira passada, pedindo "reconciliação para a Terra Santa, experimentando também nestes dias as feridas do conflito em curso que não poupam os indefesos".

O ministro da Defesa de Israel rejeitou pedidos para uma investigação sobre os assassinatos cometidos pelos militares durante uma manifestação palestina na fronteira entre Gaza e Israel que se tornou violenta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos