Novo presidente quer afastar Botsuana da dependência de diamantes

GABORONE (Reuters) - O novo presidente de Botsuana, empossado no domingo como o quinto líder pós-colonial do país, disse que dará prioridade ao combate ao desemprego dos jovens e à diversificação de sua economia.

O professor aposentado Mokgweetsi Masisi, que assume o lugar do ex-general do exército Ian Khama, herda um estado com uma reputação como uma das raras histórias de sucesso político e econômico da África.

Mas ele enfrenta uma enorme tarefa na tentativa de reduzir sua dependência do comércio de diamantes.

"Ainda procuramos construir um Botsuana no qual o desenvolvimento sustentado seja apoiado na diversificação econômica", disse Masisi a uma multidão no parlamento. "Uma das minhas principais prioridades ... será abordar o problema do desemprego, especialmente entre os jovens."

Botsuana, com uma população de cerca de 2 milhões, tem uma taxa de desemprego de cerca de 20 por cento, com o desemprego dos jovens estimado em um número muito maior.

Khama, de 65 anos, e filho do primeiro presidente do país, Seretse, se retirou após dois mandatos de cinco anos em uma sucessão roteirizada que o obrigou a entregar o poder a seu vice.

Masisi torna-se apenas o terceiro líder de Botsuana fora da dinastia Khama desde sua independência da Grã-Bretanha em 1966.

Como parte dos esforços para se distanciar dos diamantes, ele também disse que seu governo aumentaria o acesso ao ensino técnico e estabeleceria iniciativas em turismo, mineração, carne bovina e serviços financeiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos