Topo

Temer critica quem não cumpre ordem jurídica e diz que estabilidade depende de cumprimento da Constituição

Alan Santos/PR
Imagem: Alan Santos/PR

Em São Paulo

07/04/2018 16h31

O presidente da República Michel Temer criticou neste sábado aqueles que não cumprem a ordem jurídica e disse que o respeito às normas constitucionais é a única maneira de dar estabilidade ao país.

As declarações foram feitas durante um evento em Foz do Iguaçu no momento em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve sua prisão decretada pelo juiz Sergio Moro, participava de um evento no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo.

"É interessante até que muitas e muitas vezes as pessoas dizem 'olha, essa história de cumprir a ordem jurídica é relativa. O que nós precisamos é ficar com a ação, as aspirações populares e decidir de acordo com as aspirações populares", disse Temer em discurso no Simpósio Nacional de Varejo e Shopping, em Foz do Iguaçu, sem citar nomes.

A prisão de Lula foi decretada menos de 24 horas após o Supremo Tribunal Federal rejeitar por 6 votos a 5, um habeas corpus preventivo solicitado pela defesa do ex-presidente. A decisão do STF, criticada por membros da própria corte e juristas, se baseou em um entendimento de 2016 do pleno do STF de que a execução da pena pode ocorrer após a condenação em segunda instância.

"A única maneira de dar estabilidade ao país, de dar estabilidade às relações sociais, é o cumprimento da normatividade nacional que nasce na Constituição e se prolonga por todos os demais atos normativos", disse Temer.

Moro deu prazo para Lula se apresentar à Polícia Federal até as 17h de sexta-feira. Em discurso para milhares de apoiadores e simpatizantes nesta sábado, Lula disse que se entregará à PF para cumprir sua pena, após ser condenado a 12 anos e 1 mês prisão em caso envolvendo um apartamento tríplex em Guarujá, no litoral paulista.