Direita da Itália une-se em tentativa de formar governo e nomear primeiro ministro

MILÃO (Reuters) - Os três principais partidos de direita da Itália se comprometeram neste domingo a apresentar uma frente unida em uma nova rodada de negociações para a formação de um novo governo na próxima semana, desafiando tentativas do movimento 5-Estrelas, anti-establishment, de dividi-los nas negociações de coalizão.

Após as eleições inconclusivas do mês passado, o presidente Sergio Mattarella encerrou a rodada inicial de consultas na quinta-feira e prometeu se reunir com líderes partidários novamente para tentar romper o impasse e montar um novo governo.

A eleição de 4 de março viu o movimento anti-establishment 5-Estrelas emergir como maior partido único, enquanto uma aliança direitista, incluindo a Liga, Irmãos da Itália e o Força Itália, de Silvio Berlusconi, venceu o maior bloco de assentos.

Os líderes dos três partidos de direita - Matteo Salvini, da Liga, Berlusconi e Giorgia Meloni, do Irmãos da Itália - se encontraram neste domingo fechar uma mensagem comum para apresentar a Mattarella.

A coalizão de centro-direita insistirá em nomear o próximo primeiro-ministro e que as partes principais de um programa eleitoral acordadas antes do escrutínio sejam respeitadas, incluindo propostas de redução de impostos, incentivos ao emprego e uma suspensão da imigração ilegal.

(Reportagem de Agnieszka Flak)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos