Advogado de atriz pornô quer Trump interrogado sobre suposto dinheiro pago para silenciá-la

Por Rich McKay

(Reuters) - O advogado da atriz pornô Stormy Daniels, que afirma ter tido um caso com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi a um tribunal no domingo para exigir que Trump seja interrogado a respeito dos 130 mil dólares pagos para silenciá-la pouco antes da eleição presidencial de 2016.

O cerne da disputa é saber se o acordo é válido e se a questão deveria ser resolvida em um julgamento público ou uma arbitragem particular.

Na quinta-feira Trump disse à imprensa a bordo do avião presidencial Força Aérea Um que desconhece o pagamento pelo silêncio da atriz, cujo nome verdadeiro é Stephanie Clifford.

A Casa Branca negou que Trump tenha feito sexo com Stephanie.

Em uma entrevista ao programa da rede CBS "60 Minutes", a atriz afirmou que os dois fizeram sexo uma vez e que mais tarde se sentiu coagida a assinar o acordo.

Os advogados de Trump estão pedindo 20 milhões de dólares de indenização devido à violação do acordo que teria sido cometida por Stephanie.

O advogado pessoal de Trump, Michael Cohen, que disse ter pago 130 mil dólares de seu próprio bolso por meio de um empréstimo pessoal com garantia de imóvel para firmar o acordo, quer que a questão seja resolvida em uma arbitragem privada, como determinado pelo contrato.

Já Michael Avenatti, o advogado de Stephanie, disse que ela deveria ser decidida em um julgamento público.

"Se o senhor Trump não providenciou os fundos ou nem sabia dos fundos, isso seria mais um fato relevante demonstrando que ele nunca consentiu com o acordo de conciliação", argumentou ele nos documentos que apresentou à corte.

Os porta-vozes de Trump e de Stephanie não estavam disponíveis de imediato para comentar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos