Viktor Orban obtém terceiro mandato como premiê da Hungria com discurso anti-imigração

Por Krisztina Than e Gergely Szakacs

BUDAPESTE, Hungria (Reuters) - O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, conquistou seu terceiro mandato consecutivo nas eleições de domingo graças a uma mensagem de campanha anti-imigração que rendeu uma grande maioria parlamentar ao seu partido – dois terços das cadeiras, segundo resultados preliminares.

O premiê nacionalista de direita se apresentou como o salvador da cultura cristã húngara contra a imigração muçulmana na Europa, uma imagem que ecoou em milhões de eleitores, especialmente nas áreas rurais.

"Vencemos, a Hungria obteve uma grande vitória", disse um Orban exultante a uma grande multidão de apoiadores em festa perto do rio Danúbio, em Budapeste.

"Há uma grande batalha atrás de nós, obtivemos uma vitória crucial nos dando uma chance de defender a Hungria."

De acordo com resultados preliminares de 93 por cento das urnas, dados do Escritório Eleitoral Nacional apontam que o partido Fidesz conquistou 133 assentos, uma maioria apertada de dois terços do Parlamento de 199 vagas. O nacionalista Jobbik deve ficar com 26 cadeiras, e os socialistas devem chegar em terceiro com 20 parlamentares.

Dois partidos menores de esquerda, DK e LMP, conquistaram nove e oito assentos respectivamente.

Isso significa que Orban pode ter uma maioria de dois terços pela terceira vez, e poderes para alterar leis constitucionais. A União Europeia vem mostrando dificuldade para reagir, já que, apesar da oposição de seus críticos, o governo de Orban obteve duas grandes vitórias em 2010 e 2014 e vem erodindo as salvaguardas democráticas.

O triunfo pode incentivar Orban a fortalecer uma aliança centro-europeia contrária às diretrizes imigratórias da UE. Orban, o premiê húngaro pós-comunista há mais tempo no poder, rejeita uma integração mais profunda com o bloco e, em consonância com a Polônia, se tornou um crítico feroz das políticas de Bruxelas.

Ele expressou gratidão aos líderes poloneses por seu apoio antes da votação.

A líder francesa de extrema-direita Marine Le Pen, presidente da Frente Nacional, foi a primeira a parabenizar Orban.

"Grande e clara vitória para Viktor Orban na Hungria: a inversão de valores e a imigração em massa tal como promovidas pela UE são rejeitadas novamente. Os nacionalistas podem conquistar uma maioria na Europa nas próximas eleições europeias de 2019", tuitou Le Pen.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos