Topo

Governo da Síria hasteia bandeira em último bastião rebelde de Ghouta Oriental

12/04/2018 11h31

BEIRUTE/MOSCOU (Reuters) - Forças do governo da Síria hastearam sua bandeira no último bastião rebelde de Ghouta Oriental, assumindo o controle da cidade de Douma enquanto insurgentes se retiravam, relataram agências de notícias da Rússia nesta quinta-feira, selando uma grande vitória para o presidente sírio, Bashar al-Assad.

Ghouta Oriental foi o maior baluarte opositor próximo de Damasco, mas grupos insurgentes locais se renderam após uma série de ataques governamentais ferozes auxiliados pelos russos na esteira de um bombardeio maciço.

O grupo Jaish al-Islam concordou em se retirar de Douma no domingo, horas depois de um suposto ataque com armas químicas na cidade que criou a perspectiva de uma reação dos Estados Unidos. O governo sírio e Moscou classificaram os relatos do ataque como fraudes.

"A bandeira estatal hasteada sobre um edifício da cidade de Douma anunciou o controle sobre esta localidade, e portanto sobre toda Ghouta Oriental", disse o major-general Yuri Yevtushenko, diretor do Centro Russo de Paz e Reconciliação da Síria, segundo agências de notícias russas.

A polícia militar russa foi enviada a Douma nesta quinta-feira em respeito ao acordo de rendição dos rebeldes, relatou a agência de notícias russa RIA. Também devido ao acordo, cerca de 40 mil pessoas, inclusive milhares de insurgentes e seus familiares, estão partindo de Douma rumo a áreas da oposição no norte da Síria.

Um militar sírio que se encontrava no extremo de Ghouta Oriental disse que a retirada dos rebeldes de Douma deve terminar nesta quinta-feira.

Sete veículos com bandeiras russas e emblemas da polícia militar se posicionaram perto do cruzamento, além de policiais sírios, e dois ônibus repletos tomaram a direção de um ponto de reunião antes de o comboio seguir para o norte, relatou uma testemunha da Reuters.

Enquanto isso a televisão pró-oposição Orient TV exibia imagens de um comboio anterior chegando a Al-Bab, cidade do norte sírio controlada por grupos rebeldes apoiados pela Turquia. Havia homens ao redor, alguns com rifles nos ombros, enquanto os ônibus chegavam, e ambulâncias estavam estacionadas nas proximidades.

Na quarta-feira uma alta autoridade do Irã, o outro grande aliado de Assad, visitou Ghouta Oriental e prometeu ficar ao lado de Damasco diante de "qualquer agressão estrangeira".

"Os inimigos da Síria estão com raiva por causa de seus avanços militares contra grupos terroristas", afirmou Ali Akbar Velayati, um dos principais assessores do aiatolá Ali Khamenei, à TV estatal iraniana.