Turquia ordena detenção de 140 pessoas por suposto elo com clérigo opositor

ISTAMBUL (Reuters) - Procuradores da Turquia ordenaram a detenção de 140 pessoas, incluindo oficiais do Exército na ativa, devido a seus supostos elos com um clérigo residente nos Estados Unidos acusado de orquestrar uma tentativa de golpe de Estado em 2016, informou a agência estatal de notícias Anadolu nesta sexta-feira.

A polícia lançou operações simultâneas em 34 províncias de todo o país tendo como alvo 70 militares do Exército na ativa, ações ligadas a um inquérito a cargo de procuradores estaduais da província central de Konya, disse a Anadolu.

Segundo a agência, os suspeitos foram visados com base em declarações de soldados detidos anteriormente por conta de seus laços com o clérigo Fethullah Gulen e que se acredita terem sido responsáveis por abrigos de estudantes do movimento de Gulen.

Em outra investigação a cargo da procuradoria de Istambul, autoridades turcas capturaram 18 de 70 suspeitos procurados devido à sua ligação com a rede de Gulen nas forças navais, noticiou a Anadolu.

No mês passado o escritório de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) disse que as autoridades turcas detiveram 160 mil pessoas e demitiram quase o mesmo número de servidores públicos desde o golpe fracassado de julho de 2016, que Ancara atribuiu a Gulen. Ele nega qualquer envolvimento.

Entre os detidos, mais de 50 mil foram acusados formalmente e mantidos na prisão durante seus julgamentos.

(Por Ezgi Erkoyun)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos