Secretário de Justiça dos EUA se nega a comentar sobre afastamento de caso envolvendo advogado de Trump

WASHINGTON (Reuters) - O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Jeff Sessions, se negou nesta quarta-feira a dizer durante audiência congressional se irá se afastar de uma investigação envolvendo Michael Cohen, advogado pessoal do presidente Donald Trump, mas disse que irá continuar honrando seu acordo de afastamento de questões relacionadas à campanha.

“Eu busquei conselho sobre estas questões. Eu não me encontrei com a pessoa graduada de ética sobre isto, mas eu posso garantir a vocês que não violei meu afastamento”, disse ao senador Patrick Leahy, de Vermont, durante uma audiência sobre orçamento do Departamento de Justiça.

    Leahy, democrata sênior no Comitê de Apropriações do Senado, havia pressionado Sessions sobre Cohen, cujo escritório e casa foram alvos de operação neste mês após o FBI receber uma notificação do procurador especial investigando se membros da campanha presidencial de Trump em 2016 conspiraram com a Rússia durante a eleição.

    Sessions, um ex-senador republicano, concordou em se afastar de qualquer investigação do Departamento de Justiça sobre interferência na campanha após ter trabalhado para ajudar Trump a vencer a eleição. Este acordo irritou publicamente Trump, também republicano.

    “Estou honrando meu afastamento em todo caso e toda questão que é apresentada ao Departamento de Justiça”, disse Sessions. “É política do Departamento de Justiça que aqueles que se afastaram não digam os detalhes disto ou confirmem a investigação ou o escopo e natureza da investigação”.     

    Ele disse que afastamentos tipicamente não são tornados públicos, um ponto ecoado pela porta-voz do Departamento de Justiça, Sarah Isgur Flores.

    “O secretário de Justiça tem sido claro que seu afastamento cobre ‘quaisquer investigações existentes ou futuras de quaisquer questões relacionadas de qualquer maneira às campanhas do presidente dos Estados Unidos’ com base em regulamentações relevantes do Departamento de Justiça. Autoridades do departamento se negam, no entanto, a discutir afastamentos de investigações específicas em andamento porque fazer isto poderia confirmar a existência de investigações em andamento ou o escopo ou natureza destas investigações em andamento”, disse em comunicado à Reuters.

    A Bloomberg relatou mais cedo nesta semana que Sessions não havia se afastado do caso Cohen.

(Reportagem de Lisa Lambert e Sarah N. Lynch)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos