Procuradoria-Geral do Quênia ordena investigação de desastre em represa

Por Maggie Fick

SOLAI, Quênia (Reuters) - A Procuradoria-Geral do Quênia ordenou nesta sexta-feira que a polícia investigue o rompimento de uma represa de uma fazenda do Vale do Rift que matou dezenas de pessoas devido a uma inundação que desceu pela encosta de uma colina, destruindo tudo em seu caminho.

Ao menos 44 pessoas morreram quando o reservatório da fazenda, que cultiva rosas para exportação à Europa, rompeu suas margens na noite de quarta-feira após chuvas intensas. Outras 40 pessoas foram dadas como desaparecidas.

A Procuradoria-Geral informou no Twitter que o chefe de polícia foi instruído "a realizar investigações minuciosas para estabelecer a causa e a culpa, se houver", pelo desastre e apresentar um relatório dentro de duas semanas.

O jornal Daily Nation citou autoridades de governo segundo as quais a represa e outras na fazenda Solai, de cerca de 1.416 hectares, localizada a 190 quilômetros a noroeste de Nairóbi, não foram aprovadas por engenheiros governamentais.

Moradores de vilarejos também se queixaram quando as represas foram construídas, acusando o proprietário da fazenda de privá-los de acesso à água do rio, relatou o jornal.

Vinoj Kumar, gerente-geral da fazenda, atribuiu o rompimento do muro da represa às chuvas torrenciais em uma floresta acima da represa, e negou que esta tivesse defeitos ou que não tenha recebido as aprovações necessárias.

"Como eles podem dizer que é ilegal?", disse ele à Reuters. "Ela não foi construída hoje ou ontem. Foi construída 20 anos atrás".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos