Novo governo da Itália vai rever reforma trabalhista, diz ministro

MILÃO (Reuters) - O novo governo anti-establishment da Itália mudará a reforma trabalhista introduzida pela gestão anterior, disse o ministro do Trabalho e Indústria, Luigi di Maio.

A legislação, introduzida em 2015, tornou mais fácil a demissão para grandes companhias e ofereceu incentivos fiscais para empresas que contrataram funcionários permanentes sob os novos e menos protegidos termos.

O governo da Itália finalmente tomou posse na sexta-feira, encerrando meses de turbulência política e a ameaça de uma nova eleição.

Mas os investidores permanecem nervosos, uma vez que a coalizão promete aumentar gastos, cortar impostos e desafiar as regras fiscais da União Europeia, o que deve aumentar a dívida italiana.

“As pessoas não apenas não têm qualquer segurança (no emprego) para se casar, elas não tem segurança sequer para marcar suas férias”, disse Di Maio, líder do movimento 5 Estrelas, em um post no Facebook. Di Maio foi nomeado vice-primeiro-ministro e chefe do recém-unificado Ministério do Trabalho e Indústria.

(Por Agnieszka Flak)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos