PUBLICIDADE
Topo

Acuado pelos EUA, Irã transfere mísseis para o Iraque e deixa autoridades em alerta

Tabatabaee Yazdi/TIMA via REUTERS
Imagem: Tabatabaee Yazdi/TIMA via REUTERS

31/08/2018 09h47

O Irã enviou mísseis balísticos a aliados xiitas no Iraque e está desenvolvendo recursos para fabricar mais armas no país vizinho para impedir ataques contra seus interesses no Oriente Médio e poder atacar inimigos regionais, disseram fontes iranianas, iraquianas e ocidentais.

Qualquer sinal de que o Irã esteja preparando uma política de mísseis mais agressiva vai exacerbar as tensões entre Teerã e os Estados Unidos, já agravadas pela decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, de retirar seu país de um acordo nuclear de 2015 fechado pela República Islâmica com potências mundiais.

Também constrangeria França, Alemanha e Reino Unido, os três signatários europeus do acordo, que vêm tentando salvar o pacto apesar das novas sanções norte-americanas contra Teerã.

De acordo com três autoridades iranianas, duas fontes de inteligência iraquianas e duas fontes de inteligência ocidentais, o Irã transferiu mísseis balísticos de curto alcance para aliados no Iraque ao longo dos últimos meses.

Cinco das autoridades disseram que o Irã está ajudando estes grupos a fabricar seus próprios mísseis.

"A lógica é ter um plano B se o Irã for atacado", disse uma autoridade iraniana de alto escalão à Reuters.

iraque - Mathias Pape/ Arte UOL - Mathias Pape/ Arte UOL
Imagem: Mathias Pape/ Arte UOL
"O número de mísseis não é alto, só umas duas dúzias, mas pode ser elevado se necessário".

O Irã disse anteriormente que suas atividades de mísseis balísticos são de natureza puramente defensiva. Autoridades iranianas não quiseram comentar quando indagadas a respeito da movimentação mais recente.

O governo e os militares do Iraque não quiseram comentar.

Podem alcançar Israel

Os mísseis Zelzal, Fateh-110 e Zolfaqar em questão têm alcances que variam de cerca de 200 a 700 quilômetros, o que coloca a capital da Arábia Saudita, Riad, ou a cidade israelense de Tel Aviv dentro de seu raio de ação se as armas forem posicionadas no sul ou no oeste do Iraque.

A Força Quds, braço da poderosa Guarda Revolucionária do Irã no exterior, tem bases nestas duas áreas. Qassem  Soleimani, comandante da Força Quds, está supervisionando o programa, segundo três das fontes

Países ocidentais já acusaram o Irã de transferir mísseis e tecnologia para a Síria e outros de seus aliados, como os rebeldes houthis do Iêmen e o Hezbollah libanês.

Os vizinhos sunitas do Irã no Golfo Pérsico e seu arqui-inimigo Israel expressaram preocupação com as atividades regionais de Teerã, que veem como uma ameaça à sua segurança.

Washington vem pressionando seus aliados para que adotem uma postura anti-Irã rígida desde que reativou sanções neste mês.