PUBLICIDADE
Topo

EUA colocam agência militar chinesa em lista negra por comprar equipamento russo

20/09/2018 16h17

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos impuseram sanções a uma agência militar chinesa e ao seu diretor nesta quinta-feira por comprarem equipamento de defesa da Rússia, uma violação de uma lei de sanções norte-americana abrangente aprovada em 2017.

O Departamento de Estado norte-americano impôs sanções ao Departamento de Desenvolvimento de Equipamentos da China, que supervisiona a tecnologia de defesa, e seu diretor, Li Shangfu, por se envolverem em "transações significativas" com a Rosoboronexport, a principal exportadora de armas russa.

    O governo do presidente dos EUA, Donald Trump, também colocou em uma lista negra outras 33 pessoas e entidades associadas com os militares e a inteligência da Rússia, acrescentando-as a uma lista de sanções sujeita à Lei de Contraposição a Adversários da América Através de Sanções, ou CAATSA, de 2017.

    Uma autoridade do Departamento de Estado, que falou com repórteres sob condição de anonimato, insistiu que as punições à China só visaram Moscou, não Pequim ou seus militares.

    "O alvo último destas sanções é a Rússia. As sanções da CAATSA neste contexto não pretendem minar as capacidades de defesa de nenhum país em particular", disse o funcionário aos repórteres em uma teleconferência. "Elas na verdade almejam impor custos à Rússia em reação às suas atividades malignas."

    A medida vem no momento em que o governo Trump busca uma variedade de estratégias para conter a China e enfrenta uma pressão crescente para reagir de forma contundente a relatórios de agências de inteligência dos EUA segundo os quais Moscou continua a interferir na política norte-americana.

    (Por Lesley Wroughton e Patricia Zengerle)