PUBLICIDADE
Topo

Milhares são instruídos a deixar suas casas antes de enchentes pós-Florence na Carolina do Sul

24/09/2018 12h25

Por Harriet McLeod e Gene Cherry

(Reuters) - Até oito mil pessoas dentro e nos arredores da cidade de Georgetown, no Estado norte-americano da Carolina do Sul, foram orientadas a deixar suas residências antes das enchentes violentas que devem ser provocadas pelo transbordamento de dois rios em decorrência das chuvas nesta semana, possivelmente o último capítulo da destruição causada pelo furacão Florence.

Inundações de 1,5 metro a 3 metros devem atingir Georgetown e as comunidades vizinhas até o final desta semana quando os rios Pee Dee e Waccamaw transbordarem ao longo das planícies baixas de lama onde convergem na Baía Winyah, que flui para o Atlântico.

Autoridades de gerenciamento de emergências começaram a enviar mensagens telefônicas pré-gravadas aos moradores da região ameaçada no final de semana, e provavelmente começarão a ir de porta em porta nos próximos dias, disse a porta-voz do condado de Georgetown, Jackie Broach-Akers.

A zona de alagamento em potencial inclui cerca de 3.500 residências de Georgetown, que se localiza na confluência dos dois rios no alto da baía, e a comunidade turística litorânea da Ilha Pawleys, disse ela à Reuters.

Segundo a porta-voz, entre 6 mil e 8 mil pessoas residentes na área estão sendo "fortemente exortadas" a partirem por conta própria, mas nenhuma retirada obrigatório foi ordenada.

O condado pretendia abrir abrigos de emergência às 7h desta segunda-feira, e hotéis situados fora da zona de alagamento na vizinha Myrtle Beach estão oferecendo descontos para as pessoas que baterem em retirada. As escolas públicas ficarão fechadas até segunda ordem, disse a porta-voz.