PUBLICIDADE
Topo

Rússia levará mais mísseis para Crimeia devido a aumento da tensão com Ucrânia

28/11/2018 09h15

Por Andrew Osborn e Anton Zverev

MOSCOU/KERCH, Crimeia (Reuters) - A Rússia anunciou nesta quarta-feira que planeja instalar mais sistemas de mísseis terra-ar avançados S-400 na Crimeia, uma vez que a tensão com a Ucrânia aumentou depois que Moscou capturou três embarcações da Marinha ucraniana e suas tripulações.

A Rússia tem enviado novos equipamentos militares à Crimeia constantemente desde que a anexou da Ucrânia em 2014. O anúncio russo sobre os novos mísseis veio no momento em que Moscou e Kiev tentam culpar um ao outra pelo confronto de domingo.

Um correspondente da Reuters na Crimeia também observou nesta quarta-feira um navio caça-minas da Marinha russa, o Vice-Almirante Zakharin, seguindo do Mar Negro para o Mar de Azov, que é usado por Ucrânia e Rússia e uma área de tensões crescentes.

A Ucrânia decretou lei marcial em algumas partes do país após a apreensão dos navios pela Rússia, dizendo temer uma possível invasão russa.

Um porta-voz do distrito militar sul da Rússia disse, segundo agências de notícias russas, que um novo batalhão de mísseis S-400 será levado à Crimeia em breve e entrará em operação até o final do ano.

A instalação provavelmente foi planejada há muito tempo, mas o momento do anúncio pareceu concebido para mandar a Kiev e ao Ocidente a mensagem de que Moscou é séria na defesa do que vê como seu território e suas águas.

A Crimeia já abriga três batalhões de sistemas de mísseis antiaéreos com um alcance de até 400 quilômetros, o que permite à Rússia controlar grande parte dos céus acima do Mar Negro.

(Reportagem adicional de Tom Balmforth e Vladimir Soldatkin, em Moscou)