PUBLICIDADE
Topo

Partido Trabalhista britânico vai apoiar pedidos por segundo referendo sobre Brexit

25/02/2019 19h00

Por Kylie MacLellan e William James

LONDRES (Reuters) - O Partido Trabalhista, legenda de oposição britânica, disse nesta segunda-feira que irá apoiar pedidos por um segundo referendo do Brexit se o Parlamento rejeitar seu plano alternativo para a saída da União Europeia.

Com pouco mais de um mês até que o Reino Unido deixe o bloco no dia 29 de março, a primeira-ministra britânica, Theresa May, tenta fazer alterações em seu acordo de retirada para romper um impasse no Parlamento.

A decisão do Partido Trabalhista pode prejudicar as esperanças de May de obter apoio para um acordo revisado em uma votação que tem prometido realizar até 12 de março para atrair aqueles que teriam aceitado os termos da premiê para evitar um Brexit sem acordo, mas que preferem um segundo referendo.

O Parlamento deve debater e votar na quarta-feira os próximos passos da tortuosa saída do Reino Unido da União Europeia e parlamentares devem apresentar propostas, ou emendas, que podem incluir a exigência de que o acordo de retirada seja levado a uma votação pública.

O Partido Trabalhista disse que apresentará uma emenda pedindo que o governo adote suas propostas para o Brexit, que incluem uma união aduaneira permanente com a UE e um alinhamento próximo com o mercado único do bloco.

"Se o Parlamento rejeitar nosso plano, então o Partido Trabalhista irá cumprir a promessa feita em nossa conferência anual e apoiar uma votação pública", disse o porta-voz da legenda para o Brexit, Keir Starmer, em publicação no Twitter.

Acredita-se que o Parlamento não irá apoiar a proposta trabalhista para o Brexit.

A oposição disse que irá apoiar uma proposta de sua parlamentar Yvette Cooper para dar ao Parlamento poder legal de forçar May a adiar o Brexit, buscando uma prorrogação do período de negociação previsto no Artigo 50.

"Estamos comprometidos a também apresentar ou apoiar uma emenda a favor de uma votação pública para impedir que um prejudicial Brexit conservador seja forçado ao país", dirá o líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, em reunião nesta segunda-feira, segundo seu gabinete.

"De um jeito ou de outro, nós faremos tudo que estiver em nosso alcance para impedir um (Brexit) sem acordo”.

Corbyn tem estado sob pressão há algum tempo para apoiar a realização de um segundo referendo. Na semana passada, oito parlamentares a favor de uma nova votação deixaram o Partido Trabalhista, em parte devido à frustração com o fato de ele não ter apoiado um outro referendo.

A perspectiva por uma segunda votação representa um dilema para Corbyn: enquanto muitos dos membros e apoiadores de seu partido defendem fervorosamente o chamado voto do povo, outros simplesmente querem que o Reino Unido deixe a União Europeia o mais rápido possível.