Topo

Crise do Brexit se aprofunda em dia de votação no Parlamento sobre saída sem acordo

2019-03-13T08:30:09

13/03/2019 08h30

Por William Schomberg e Michael Holden

LONDRES (Reuters) - O Parlamento do Reino Unido decidirá nesta quarta-feira sobre a possibilidade de deixar a União Europeia dentro de 16 dias sem um acordo sobre os laços futuros entre as partes, e o governo disse que eliminará tarifas de importação de uma ampla gama de produtos em um cenário de Brexit sem acordo.

Na terça-feira, parlamentares britânicos impuseram à primeira-ministra, Theresa May, uma segunda derrota humilhante para seu plano do Brexit acertado com a UE, mergulhando o país mais fundo na crise política.

A instabilidade deixa a quinta maior economia do mundo diante de uma série de possíveis cenários: sair da UE sem um acordo de transição; atrasar a data da separação marcada para 29 de março; May poderia realizar uma eleição repentina ou tentar, pela terceira vez, que seu acordo seja aprovado; ou o Reino Unido poderia realizar outro referendo sobre o Brexit.

Espera-se que o Parlamento rejeite nesta quarta-feira um Brexit sem acordo, em uma votação às 16h (horário de Brasília), embora isso não tenha força legal. Na quinta-feira, será votado se Londres deve pedir à UE uma prolongação do prazo do Brexit, algo com o qual todos os outros 27 membros do bloco devem concordar.

O negociador da União Europeia para o Brexit, Michel Barnier, disse que o bloco precisaria saber por que o Reino Unido gostaria de ampliar as negociações, e que Londres deveria encontrar uma saída para o impasse.

"Se o Reino Unido ainda quiser sair da UE de maneira ordenada, este tratado é --e continuará sendo-- o único tratado possível", disse Barnier ao Parlamento Europeu em Estrasburgo.

No entanto, a posição padrão, se nada mais for acordado, permanece sendo que o Reino Unido sairá sem acordo em 29 de março, um cenário que líderes empresariais alertam que traria caos aos mercados e cadeias de fornecimento, e outros críticos dizem que poderia causar escassez de alimentos e medicamentos.

Defensores do Brexit argumentam que, embora uma separação sem acordo possa trazer alguma instabilidade de curto prazo, a longo prazo isso permitiria ao Reino Unido prosperar e elaborar acordos comerciais em todo o mundo.

Mais Notícias