PUBLICIDADE
Topo

MP de Minas denuncia ex-CEO da Vale e outros por homicídio qualificado, diz documento

Fábio Schvartsman, presidente afastado da Vale, depõe na CPI de Brumadinho, no Senado - Edilson Rodrigues/Agência Senado
Fábio Schvartsman, presidente afastado da Vale, depõe na CPI de Brumadinho, no Senado Imagem: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Marta Nogueira

Rio de Janeiro

21/01/2020 15h28

O ex-presidente da Vale, Fabio Schvartsman, e outras 15 pessoas físicas foram denunciadas pelo Ministério Público de Minas Gerais por homicídio qualificado e crimes ambientais, devido ao rompimento de uma barragem em Brumadinho (MG) em 25 de janeiro do ano passado, segundo documento visto pela Reuters.

A mineradora Vale, dona da barragem que se rompeu, e a alemã TÜV SÜD, que havia atestado a estabilidade da estrutura, por sua vez, foram denunciadas pelo MP de Minas por crimes ambientais, segundo o documento da denúncia.

Na denúncia, o MPMG afirmou que "os crimes de homicídio foram praticados mediante recurso que impossibilitou ou dificultou a defesa das vítimas, eis que o rompimento (...) ocorreu de forma abrupta e violenta, tornando impossível ou difícil a fuga de centenas de pessoas que foram efetivamente atingidas pelo fluxo da lama".

O desastre deixou 259 mortos confirmados, além de ter atingido rios, mata e comunidades da região. Outras 11 pessoas permanecem desaparecidas.

Cotidiano